Machine Gun Kelly ressucita o pop punk em novo disco, confira

Machine Gun Kelly pop punk

Machine Gun Kelly traz o pop punk de volta ao mainstream com Tickets To My Downfall

Machine Gun Kelly, conhecido pelo seu trabalho como rapper, vem desbravando o mundo do pop punk em colaboração com ninguém mais que Travis Barker, icônico baterista do Blink-182.  Os dois se juntaram para a produção do disco Tickets To My Downfall, que foi lançado ontem (25). O disco traz influências do pop punk e do emo, além de colaborações como Halsey e Blackbear.

forget me too (feat. Halsey)

 

my ex’s best friend

 

Claro que o Blink-182 é uma influência fortíssima no álbum, porém é possível notar traços de My Chemical Romance, All Time Low, Paramore, Green Day e outros grandes nomes do gênero. Machine Gun Kelly mistura bem essas influências ao seu pop mainstream com traços de rap, porém se perde em algumas faixas do meio para o final fazendo algumas parecerem muito similares entre si, além de interlúdios que quebram a experiência sem acrescentar nada de novo ao trabalho. Por outro lado, algumas canções se destacam pelo instrumental e vocal energéticos e nostálgicos, sendo estas são Bloody ValentineConcert For Aliens e Title Track. My Ex’s Best Friend (feat. Blackbear) destoa um pouco do pop punk que domina maior parte do álbum, mas é uma ótima faixa pop chiclete que fica na cabeça.

bloody valentine

 

concert for aliens

Tickets To My Downfall traz temas bem característicos do pop punk, como relacionamentos, drogas, álcool, depressão e traumas escolares. Alguns tópicos foram atualizados aos dias atuais, como mensagens de texto e redes sociais nos relacionamentos.

Em um espectro geral, Tickets To My Downfall renova um gênero tão batido como o pop punk, com elementos de pop e rap, trazendo frescor a um estilo tão amado e nostálgico para os adolescentes dos anos 2000.  Algumas faixas erram mais do que acertam, como all i know (feat. Trippie Redd) e lonely, que soam genéricas e sem contraste de melodia.  Por outro lado, o disco acerta em singles chiclete e nostálgicos, como bloody valentine e concert for aliens, que com certeza vão ficar no repeat de muita gente.  Com isso, MGK deixa com esse disco um gostinho de curiosidade sobre como ele vai aprimorar sua sonoridade neste gênero e se vai continuar nessa linha, ou se nos próximos trabalhos teremos Machine Gun Kelly rapper novamente.

Mais notícias como essa você encontra no Minuto Indie.

Acompanhe as nossas postagens no Facebook.

 

Deixe uma resposta