Matt Berninger, vocalista do The National, lança primeiro álbum solo da carreira

Serpentine Prison foi lançado pela Book’s Records, com o selo de Berninger e Booker T. Jones

Serpentine Prison, o disco solo de estreia altamente antecipado de Matt Berninger, vocalista do The National, já foi lançado. Produzido pelo famoso multi-instrumentista de Memphis Booker T. Jones, o álbum está disponível através da Book’s Records, um novo selo formado por Berninger e Jones em conjunto com a Concord Records.

Já curte o Minuto Indie no Facebook? Clique aqui!

Berninger performará uma seleção do novo álbum no programa da CBS “This Morning: Saturday” e “The Tonight Show with Stephen Colbert” no dia 22 de outubro.

FOTO – DIVULGAÇÃO

Além de suas funções como frontman do aclamado grupo de rock The National, com quem ganhou o prêmio Grammy de Melhor Álbum de Música Alternativa por Sleep Well Beast em 2017, Berninger também colaborou com Brent Knopf (Ramona Falls, Menomena) sob o apelido de EL VY por o lançamento de 2015, Return to the Moon. Em 2019, Berninger apareceu em Between Two Ferns: The Movie e se juntou a Phoebe Bridgers para contribuir com a música “Walking on a String” para a trilha sonora do filme.

E o seu debut álbum, Serpentine Prison apresenta contribuições de uma ampla gama de artistas notáveis, incluindo Matt Barrick (The Walkmen, Jonathan Fire * Eater), Andrew Bird, Mike Brewer, Hayden Desser, Scott Devendorf (The National, LNZNDRF), Gail Ann Dorsey (David Bowie, Lenny Kravitz), Booker T. Jones, Teddy Jones, Brent Knopf (EL VY, Menomena), MicBen Lanz (The National, Beirut, LNZNDRF), Walter Martin (The Walkmen, Jonathan Fire * Eater), Sean O’Brien, key Raphael (Willie Nelson, Bob Dylan), Kyle Resnick (The National, Beirute), Matt Sheehy (EL VY, Lost Lander) e Harrison Whitford (Phoebe Bridgers). A produção adicional do álbum foi fornecida por Sean O’Brien. E também  já conta com muitos elogios da crítica:

Revista Rolling Stone:

“A faixa ‘One More Second’ começa como uma melodia acústica mínima e meditativa, mas logo se expande com bateria embaralhada, órgão rico, vocais de apoio fluorescentes e até mesmo um solo de piano de bom gosto – e ligeiramente fora de forma.”

 

Revista Esquire:

“Atado com chifres e produzido pelo mestre Booker T. Jones criado em Memphis… os dez originais são absolutamente emocionantes.”

 

Porta STEREOGUM:

“A estética orgânica, suave e com raízes na estreia autointitulada do The National ou partes de Sad Songs For Dirty Lovers podem dar algum tipo de dica ao som paciente e acústico de Serpentine Prison. Claro, mais 20 anos de experiência e a influência de Jones tornam este animal totalmente diferente. Berninger estava buscando a sensação de álbuns da velha escola, e ele acaba aproximando essa sensação com a intuição de Serpentine Prison.”

 

OUÇA SERTENTINE PRISON DE MATT BERNINGER

 

MI NO YOUTUBE

Mais notícias no Minuto Indie.

Leave a Reply

Exit mobile version