EXCLUSIVO: Conheça o som instrumental e confortante da Fluhe, através de seu disco de estreia, ‘sobre nós’

Fluhe sobre nós

A Fluhe é o projeto solo instrumental do músico e engenheiro de som, Chico Leibholz

Um dos valores mais bonitos e únicos da música instrumental é o seu poder de nos transmitir emoções, nos trazer lembranças, mudar nossas energias. Mesmo sem palavras, cada canção tem sempre muito a dizer. Provoca, questiona, acolhe, convida. Assim é ‘sobre nós’, o novo disco da Fluhe, que chega aos nossos ouvidos com uma mensagem simples, mas especialmente transformadora. Precisamos nos manifestar, nos unir, nos conectar em corpo, alma, luta e som.

Capa do disco ‘sobre nós’, por Chico Leibholz

Não é a primeira vez que indicamos o som da Fluhe aqui, no Minuto Indie. O projeto do multi-instrumentista Chico Leibholz nos presenteou com singles, clipe, e, agora, chega a vez de se apresentar ao público através de um disco, lançado pela Alcalina Records. São 11 faixas, frutos de muita experimentação, que, através do som, ilustram uma atmosfera urbana e sinestésica. Através de elementos do rock alternativo, do trip hop e da soul music, ‘sobre nós nos conta histórias que, por mais que não sejam nossas, se fazem íntimas quando o espírito das melodias nos envolve.

Além de multi-instrumentista, Chico Leibholz também é engenheiro musical e trabalhou no estúdio na Casa do Mancha. A criação, gravação, mixagem e masterização das faixas do disco é de responsabilidade dele. Toda a obra, como já era esperado por quem conhece Chico, foi construída com sinceridade e muita entrega, não só no que diz respeito à música, em si. O nome do disco de estreia da Fluhe tem uma carga sentimental que significa mais do que parece significar, em tempos de tanta ignorância e falta de liberdade para reconhecer quem somos e qual é o nosso lugar.

Ouvi o termo ‘’nós por nós’’ em uma live da Anielle Franco. Da sua fala e ao meu entender, isso representa que nós pretos temos de fazer por nós, nos fortalecer, não podemos esperar que brancos nos digam o que fazer dentro do contexto sócio-político no qual vivemos. Talvez isso tudo seja só para desatar nós. Nó por nó, todos nós, não apenas eu.” – Chico Leibholz

Foto: Agê Massinhan

Ouça ‘sobre nós’, o disco de estreia da Fluhe

Chico vive a música como arte há muito tempo, e fez parte de projetos como as bandas Soulstripper, Os Augustos e Boom Project. Foram experiências e mais experiências, mas chegou o momento em que ele sentiu que deveria parar de tocar. “Coloquei todos os meus instrumentos à venda, e por sorte não vendi quase nada (risos). Estava cansado de passar perrengue com pessoas que não se preocupavam tanto quanto eu para um projeto musical. Enfim tirei uma pressão de me preocupar com outras pessoas, e passei a estudar formas de se compor sozinho, mas sem nenhuma pretensão.”, recorda o multi-instrumentista.

Em 2017, voltou a se envolver em projetos musicais. Aceitou colaborar como baterista no Neptunea, o projeto solo de Rafael Bulleto, depois na banda Andaluz, a convite de Eduardo Arrj e Agê. Ele voltou, e ainda bem. Desde então, Chico Leibholz voltou a viver a música com maior intensidade, e logo começou a dar vida ao seu projeto solo atual. Com a Fluhe, o artista já se apresentou em festivais consagrados da cena independente, como Bananada (GO) e CoMA (DF).

Mais notícias no Minuto Indie. Curta nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta