EXCLUSIVO: Vida online na quarentena inspira o novo single da banda A Olívia; assista ao lyric video de ‘SOS Internet’

Aproveitando o lançamento do single, conversamos com Luis Vidal, voz e guitarra base d’A Olívia, sobre o momento atual da banda e como a internet influencia nosso cotidiano

É impossível descrever 2020 sem pensar em caos, afinal, o ano já começou trazendo um dos maiores desafios da sociedade contemporânea. Uns 10 meses atrás, alguns sequer sabiam o significado de “pandemia“, “quarentena” e outras palavras que entraram no nosso vocabulário da forma mais bizarra e inesperada possível.  O momento fez com que ficar em casa se tornasse uma necessidade e, assim, que o consumo de internet aumentasse ainda mais. Em ‘SOS Internet‘, a banda paulista A Olívia reflete, descontraindo, sobre um dos maiores medos do jovem em quarentena: ficar offline.

Capa do single ‘SOS Internet’

Tóxica ou não, ela é importante. Com o isolamento social, a internet escancarou, ainda mais, as desigualdade sociais, mas aliviou corações e mentes por aí. Shows foram substituídos por lives, rolês com os amigos pelas videochamadas, almoço no restaurante pelos pedidos em aplicativos de entrega, e teve muita gente se encorajando a aprender novas receitas e criar novos hábitos a partir de dicas no YouTube. É aí que surge a angustiante reflexão: como seria a pandemia de 2020 se não tivéssemos internet?

No início de toda essa loucura que vivemos nos últimos meses, A Olívia já tinha pensado nisso. A banda, formada por Luis Vidal (voz e guitarra base), Mateus Albino (guitarra solo), Murilo Fedele (bateria) e Pedro Lauletta (teclado e percussão), transformou em música, com uma letra direta, sem rodeios, todo esse típico medo do jovem moderno de ficar sem internet na quarentena. Agora, em setembro, quando uns continuam em casa e outros já chutaram o balde, ‘SOS Internet‘ chega como o primeiro single do EP ‘Output‘, que será lançado no fim deste mês de outubro e é sucessor de ‘Jardineiros de Concreto‘, álbum de estreia que, inclusive, entrou para a lista do MI de melhores discos br do ano de 2017.

Foto: Diogo Pacifico

A sonoridade da faixa é um pop rock com beats eletrônicos, uma alusão ao contexto da própria letra, e se resulta de uma mistura de lo-fi com o ritmo dançante dos anos 80. Ela foi produzida e gravada na casa do Luís, durante o período de isolamento social. Aproveitando o lançamento do single, conversamos com ele sobre o momento atual da banda, o processo de criação de ‘SOS Internet‘ e como se manter são em tempos de tanto desequilíbrio (e desgoverno).

Entrevista com Luis Vidal

Minuto Indie: ‘SOS Internet’ é bem franca, deixa o recado logo de cara, com uma pitada de humor e outra de conscientização. Por isso, acredito que ela tenha nascido de um jeito bem natural também. Conta aí pra gente como é que se deu o processo de criação dessa faixa… e do clipe!

Luis: Foi bem natural mesmo! É uma música bem humorada sobre a pandemia que eu compus com base no que estava vivendo no início da quarentena. Como é uma história real, eu praticamente narrei os fatos. Eu tinha essa viagem de um mês programada e na semana que eu viajaria a minha internet parou de funcionar por 3 dias. Como eu tinha trocado de operadora recentemente achei que era algum erro de instalação, aí tentei entrar em contato e resolver antes de viajar, mas não deu tempo. No meio da viagem veio o decreto da quarentena. Era tudo muito novo, a gente não sabia o desenrolar, mas de uma coisa eu sabia, se eu não tivesse internet seria muito mais difícil! No fim, quando voltei de viagem a internet milagrosamente estava funcionando. Isso me fez questionar prioridades, privilégios, as desigualdades e a própria dependência da internet no mundo hoje. Estamos falando de conexão, e é esse universo de pessoas, cabos e sinais invisíveis que deu o tom da música e a identidade visual.

MI: Não é de hoje que A Olívia tem essa identidade nostálgica, crítica, lúdica, mostrando que tudo pode se tornar leve e descontraído. É isso que a gente precisa agora, em tempos tão difíceis em que a melancolia tenta ocupar o máximo de espaço possível. Inclusive, imagino que o EP ‘Output’, que está por vir, siga essa estética de mundo cibernético, bem presente nos clipes da banda, como em ‘Não me Leve a Mal’. O que o público pode esperar desse novo lançamento?

L: A tecnologia empresta muitos nomes do plano intangível. Energia, conexão, ondas… Mas na banda ninguém é físico ou místico, somos comunicadores. O lúdico ajuda a significar essas palavras. Esse lançamento tem muita relação com a forma como ele foi feito. À distância, trocando muito email, fazendo vídeo chamadas, gravando os episódios do podcast O “Q” da Música, que é um espaço de diálogo criativo entre a banda e pessoas que admiramos. O público pode esperar momentos extremos. Por vezes sensíveis e de muita introspecção, por muitas vezes de revolta, de desabafo e de insegurança.

MI: Os dramas do privilegiado jovem millennial até fazem sentido nesse momento de quarentena, quando a internet realmente se tornou salvação pra muitos, além de expor mais ainda as desigualdades, claro. Aqui no Brasil, o uso de rede aumentou mais de 100%, não só pela tentativa de curar o ócio, mas também por toda a necessidade do home office e do ensino remoto. Enfim, vivemos e continuamos vivendo uma pandemia. Vocês já conseguiram imaginar como seria esse momento, em todos os sentidos, se não existisse internet?

L: Sem dúvida o uso da rede vai muito além do ócio. Em 2019 uma matéria do Meio e Mensagem chamada “Publicidade não reflete maioria da internet brasileira” mostrava alguns dados bem impressionantes. No início da década, “show grátis” era a expressão com gratuidade mais procurada, depois “cinema grátis”, “teatro grátis” e, em quarto “wi-fi grátis”. No final da década a conexão de internet gratuita estava no topo. Outro dado que surpreendeu, entre donos de smartphones 80% estouraram o plano de internet antes do previsto. Esse ano a gente acompanhou toda a dificuldade das escolas em manter o contato virtual com os alunos, por exemplo. Enfim, a Internet é vital para que o mundo funcione hoje. SOS Internet tem essa provocação como plano de fundo. Existe mais de um apocalipse possível, o fim da internet seria um deles por exemplo. Não sabemos dizer se o nosso SOS é um pedido de socorro ou um alerta.

MI: E se passaram 3 anos desde o lançamento do álbum de estreia, ‘Jardineiros de Concreto’. O que mudou pra vocês com o passar do tempo, tanto pra vocês como pessoas, quanto como artistas?

L: Estamos mais maduros e mais confiantes na nossa intuição. A gente testa muito mais, erra muito mais, e se organiza cada vez melhor pra chegar num som que a gente gosta. Quando lançamos “Jardineiros de Concreto” era tudo muito recente. O Streaming já era realidade, mas não chegava perto do que é hoje. Mudamos nosso jeito de ensaiar, compor e também de curtir o processo todo. Só a ansiedade pelo lançamento que continua a mesma (risos).

MI: A versão demo de ‘SOS Internet’ tá no ar desde 01 de abril, quando ainda não tinha dado tempo de surtar completamente com a pandemia. Agora ela vem em forma de single, oficialmente. Daí eu quero finalizar nossa conversa com a pergunta que não quer calar. Qual é a receita de sucesso para ser paciente, tomar cuidado com os vícios, fazer exercício e, ainda, aguentar o presidente? (risos)

L: Receita mesmo cada um vai ter a sua (risos). Mas é fundamental tentar manter, se não o bom humor, pelo menos a esperança, e procurar fazer as pazes com o tempo. A gente tem uma preocupação grande em manter o diálogo, em tentar se manter produtivo dentro da banda e na vida pessoal também. Conversas do tipo “e aí como tá a cabeça?” estão muito mais frequentes. É preciso praticar diariamente a empatia e a auto reflexão. O exercício físico ajuda demais porque você foca em uma coisa só e isso faz bem pro corpo e pra mente. Não precisa ter passado nem presente de atleta, mas manter o foco e se atentar aos fatos já ajuda muito!

Assista ao lyric video de ‘SOS Internet’

Direção e Edição de Vídeo por Diogo Pacífico

Música por Luis Vidal

Mix e Master Carlos Bechet, Orelha Muda

… ou clique aqui para escutar o single nas plataformas digitais de áudio

Acompanhe a letra

Enquanto eu viajava naquelas semanas
a internet em casa não tava funcionando direito
ligava para operadora e não surtia efeito
eu não sabia se teria wi-fi quando eu voltasse
e quando eu voltar?

e logo quando cheguei em clima de pandemia
foi decretada a quarentena
que ferrou meus horários
salário, honorário, o baralho, calendário
etc e tal
mas preciso entender
ficar em casa neste momento é essencial

pra minha surpresa quando abri a porta
e olhei para o modem a luzinha tava azul,

agora eu to com a internet
legal
ela tava travando tudo
mas agora tá pegando real

e tá sendo importante
nesse momento estranho em que estamos distantes
online fica um pouquinho mais perto
é tipo fita crepe
funciona por enquanto

sinto saudade da rua
do palco, da praça
do moço da água de coco gelado
geral

ao menos minha internet
legal
ela tava travando tudo
mas agora tá pegando real

seja paciente, cuidado com os vícios, faça exercício,
a merda o presidente,
remarque compromissos, trabalhe como pode, seja forte,
tudo é temporal, mantenha astral

momento berimbau
berimbau bau bau bau

Agora eu tô com a internet
legal
ela tava travando tudo
mas agora tá pegando real

SOS internet
legal
ela tava travando tudo
mas agora tá pegando real

Mais notícias no Minuto Indie. Curta nossa página no Facebook. Siga-nos no Instagram.

Leave a Reply

Exit mobile version