Influências e primeiro disco: Conversamos com Yung Heazy, a nova sensação do dream pop.

Cantor e compositor canadense irá lançar o seu primeiro disco em menos de um mês.

 

Se você acompanha essa nova wave de artistas do dream pop, que conta com Mac DeMarco, Cuco, Clairo etc., certamente já ouviu falar de Yung Heazy. O projeto de Jordan Heaney ganhou notoriedade nas plataformas digitais com apenas duas faixas liberadas e consequentemente fez com que o artista anunciasse o seu primeiro registro de estúdio, que deverá chegar em Junho.

O músico aceitou responder algumas perguntas para o Minuto Indie, onde fala principalmente sobre o debute.

Confira:

Minuto Indie: A primeira vez que ouvi o seu single, “Cuz You’re My Girl”, eu estava na casa de um amigo na minha cidade natal — um lugarzinho com menos de 35 mil habitantes, aqui no Brasil. Já caiu a sua ficha a respeito da dimensão da sua música? Como é saber que ela pode alcançar lugares que você talvez nunca conheça?

Yung Heazy: Sim! É uma loucura perceber quantas pessoas ouviram a minha música e o quão longe ela é capaz de chegar.  É o poder da internet, qualquer coisa é potencialmente global assim que você a coloca ali. É um sentimento surreal saber que pessoas que não conheço apreciam as músicas que faço. Eu espero viajar e levar a tour ao máximo que eu puder, eu quero explorar todos os lugares.

Minuto Indie: No dia 1º de Junho vocês estará laçando o seu primeiro disco, Whenever You’re Around, I Hate Everything Less. Recentemente você disse ter sido influenciado musicalmente por nomes como John Frusciante, Julian Casablancas e Thom Yorke. Durante o tempo de gravação, você foi influenciado por outras mídias? Como um filme, um livro, uma série de TV ou algo do tipo….

Yung Heazy: Eu estava assistindo “The Room” repetidamente, até mesmo comecei a gravar uma ode ao Tom Wiseau durante as sessões. Aquele filme é muito shakespeariano assim que você supera a ridicularização e presta atenção no enredo. Ele (o filme) me ajudou a ficar mais descontraído e não levar tão a sério o que eu estava fazendo. E acho que essa vibe foi bem traduzida na música. Eu amo mostrar as pessoas este filme pela primeira vez, se vocês nunca o viram, vejam imediatamente. Irá fazer sentido lá pela sétima vez.

Minuto Indie: Com a aproximação da data de lançamento, provavelmente haverão mais singles. Quais diferenças podemos esperar dos dois primeiros para os novos? O que mudou?

Yung Heazy: Eu trouxe uma abordagem diferente para as músicas românticas que não usei nos dois primeiros singles, que é não apenas a de estar naquele momento com a sua alma gêmea, mas também sobre relacionamentos passados que não deram certo e ganhar de volta a confiança do seu parceiro. É difícil falar sobre sem mostras as músicas (risos). Mas haverão algumas bonitas também.

Minuto Indie: Qual foi a parte mais difícil de gravar um disco? E qual foi a mais prazerosa?

Yung Heazy: Escrever. Eu sou tão lento e é tão doloroso, também tenho que estar inspirado para alguma coisa boa sair. Eu sou muito duro comigo mesmo para ter algo a dizer, muitas vezes escrevi músicas que não dizem nada ou fui muito vago na mensagem que queria passar, nesse álbum eu quis ser um pouco mais direto. Fui muito inspirado por John Lennon e Father John Misty, eles tem esse poder de dizer algo tão diretamente que fazem você crer em cada palavra. A parte mais prazerosa é a composição. Eu amo criar melodias e ser o cara da guitarra.

Minuto Indie: Eu achei a capa e o nome do álbum muito divertidos. Assim como foi com os primeiros dois singles. Certamente algo que chamaria a minha atenção numa loja de discos ou numa playlist do Spotify. Você tem essa atenção com tudo que permeia a sua música? Podemos esperar o mesmo dos vídeo clipes?

Yung Heazy: É difícil saber como as pessoas reagirão a essas coisas. Apenas tento fazer coisas que eu gosto e espero que as pessoas gostem também. Eu estou com um vídeo clipe para “Cuz You’re My Girl” preste a sair, talvez até já tenha saído quando essa entrevista for publicada (risos). Nele estou interpretando esse personagem estranho e desesperado por amor, acho que se encaixa nessa vibe dream pop na qual estou inserido.

Minuto Indie: E… quem é a pessoa que quando está ao seu lado, você odeia tudo um pouco menos? (Desculpa, por aqui amamos fazer trocadilhos)

Yung Heazy: Minha maravilhosa namorada, Ali.

Arte por Hudson Partridge

 

Minuto Indie: Em alguns dias você começará a turnê de promoção. Qual lugar que não está na lista, mas você quer muito tocar?

Yung Heazy: Vegas.

Minuto Indie: Se você não estivesse fazendo dream pop, qual outro gênero musical você se imaginaria tocando?

Yung Heazy: Grunge progressivo, funk metalcore… que é exatamente o que eu faço na minha outra banda, Frogpile, o que me permite explorar outros gêneros e experimentos musicais. Temos um monte de músicas estranhas nas quais estamos trabalhando. Sigam a gente: @Frogpile_band.

Minuto Indie: Para finalizar: você pode selecionar cinco álbuns que o fizeram se apaixonar por música e ocasionalmente ter iniciado o Yung Heazy?

Yung Heazy:

  • Stadium Arcadium (Red Hot Chili Peppers)
  • Amnesiac (Radiohead)
  • The Empyrean (John Frusciante)
  • Tyranny (Julian Casablancas + The Voidz)
  • Pom Pom (Ariel Pink)

Minuto Indie no YouTube:

Deixe uma resposta