Stoner Rock raiz do Red Fang agita São Paulo

E então chega o estimado dia do show do Red Fang em São Paulo. Num Sábado em que todas as atenções da mídia voltavam-se para o Lollapalooza 2018, eu caminhava pela estação República rumo ao Vic Club. Na pequena distância que deve-se percorrer da Rua Marques de Itu não avistava nenhum fã. Há dois quarteirões da casa, os bares e botecos da rua tocando sua música sertaneja alta foram dominados pelos fanáticos do bom stoner rock do Red Fang. E logo a rua foi ganhando aquele formato e clima de show com os vendedores ambulantes e fixos dividindo o espaço até o local onde ocorreria a apresentação.

Aconchegada em um lugar do Vic Club, assisti à apresentação do Mad Sneaks, banda de abertura. O grupo teve alguns problemas técnicos com o microfone na primeira canção, estando ele muito baixo para a voz agourada do vocalista, Agno. A banda apostou nas canções mais pesadas durante a performance, interagindo bastante com os fãs ansiosos da principal apresentação da noite. Apesar disso, o público curtiu o som do Mad Sneaks, que empolgadamente distribuiu para seu público CDS, adesivos, e palhetas aos montes. Ao término de sua performance, os membros deixaram a música tomar conta até que Agno quebrou a guitarra na frente de todos finalizando o show de abertura e dando espaço para a banda principal.

 

Red Fang entra no palco e o público vai a loucura. Pulos, gritos, mosh. Do início ao fim foi tudo o que eu presenciei. Pessoalmente, adoro quando a banda empolga os fãs tanto assim. A felicidade genuína dos fãs assistindo a um ótimo show ao mesmo tempo em que curtiam e respeitavam a presença um do outro dentro daquele ambiente. A banda interagiu bastante com os que estavam presente, dizendo o quão satisfatório era estar tocando mais uma vez em São Paulo e consecutivamente levantando o astral do lugar dizendo que o melhor “dançarino” ganharia um prêmio.

A plenos pulmões as canções Blood Like Cream, Not For You e Into the Eye foram cantadas. Do último CD, o “Only Ghosts”, foram tocadas 5 canções num setlist de 17 músicas. Apesar desse ser o último lançamento do grupo, foram apresentadas 7 faixas do segundo álbum da banda, o “Murder the Mountains”, que foram as canções que acabaram por agradar mais o público, sendo elas muito bem recebidas. A banda finalizou o show com “Hank is Dead” e “Throw Up” fechando a turnê em solo brasileiro com grande maestria e fazendo a noite inesquecível para seu fãs que quase roubaram o papel principal do show que acontecia no palco.

MI no Youtube

Deixe uma resposta