Resenha: Franz Ferdinand -“Always Ascending”

Menos guitarra, mais eletrônico. Menos pista de dança e mais amadurecimento. A elegância de sempre. Marcas de um novo Franz Ferdinand.

Franz Ferdinand – “Always Ascending”.

Dois mil e dezoito parece ser um ano de reinvenções e ressurgimentos, além de vários shows internacionais vindo em direção ao Brasil, algumas bandas que amamos muito estão prometendo novidades, algumas já começaram a entregar discos que, sem dúvidas, estarão em listas de melhores do ano.

É o caso da banda escocesa Franz Ferdinand, na estrada desde 2002 o grupo já acumula sucessos internacionais como “This Fire”, “Take Me Out” e “No You Girls”, suas composições sempre tiveram o viés dançante, isso contribui com as apresentações ao vivo, que, junto com os clipes sempre criativos, se tornam grandes características da banda.

Sem novidades relevantes desde 2013, quando lançaram “Right Thoughts, Right Words, Right Action”, a banda regressa agora em 2018 com “Always Ascending”, um disco menos pretensioso e mais conceitual, menos festeiro e mais maduro.

Neste meio tempo a banda gravou uma colaboração com a banda Sparks, juntos criaram um super grupo chamado FFS, sigla que também nomeou o disco de 2015 que pouco empolgou, porém serviu como amostrar de que a banda poderia ir muito além daquilo que já estávamos acostumados a ouvir, em 2016 eles lançaram a canção “Demagogue”, uma música em protesto contra Donald Trump, atual presidente dos EUA, que na época ainda era uma ameaça que poderia ser derrotada nas urnas.

Trabalhando o as mudanças internas – desde a substituição do guitarrista/tecladista/fundador Nick McCarthy (deixou a banda em 2016) por Dino Bardot (guitarra) e Julian Corrie (teclados/guitarra) até a escolha de um novo produtor Philippe Zdar (50% do projeto de música eletrônica Cassius e colaborador do Phoenix) -, mudanças externas e pessoas, o grupo agora da vida a um disco que, não consigo imaginar ser concebido para as pistas de dança, mas mesmo assim é entusiasmante.

O eletrônico ganhou ainda mais espaço em “Always Ascending”, a faixa título é um grande exemplo disso, abrindo o trabalho como se uma pessoa amiga de pegasse pela mão e jogasse você pra pista de dança enquanto toca sua canção predileta, “Lazy Boy” dá continuidade a empolgação que por vezes desaparece e ressurgi, com o charme do vocalista Alex Kapranos, o instrumental, sempre bem divertido e elegante.

A renovação deve agradar os fãs que já acompanham a banda por um longo período e também promete criar uma nova safra de seguidores para o conjunto, sendo assim, os shows calorosos voltam a acontecer, e a banda já promete vir ao Brasil assim que possível.

MI no YouTube:

Deixe uma resposta