Queremos! Festival: A segunda edição agitou o Rio de Janeiro e deixou gostinho de quero mais

Queremos! Festival: A segunda edição agitou o Rio de Janeiro e deixou gostinho de quero mais

No último sábado (15), aconteceu o Queremos! Festival na Marina da Glória no Rio de Janeiro e reuniu uma diversidade de pessoas que queriam apreciar uma boa música.

O festival da Queremos tinha em sua line-up diversos artistas como: Gal Costa, Allie X, Baco Exu do Blues, Duda Beat, Carne Doce, Criolo e muito mais. Gerando um total de 14 horas de música.

O diferencial da proposta do festival já foi notado a partir do momento que divulgaram a lista de artistas. Metade das atrações eram mulheres e todas com carreiras maravilhosas.

Além das atrações, o festival trouxe alguns mimos para a galera, como o famoso copo e tradicional poster da Queremos, uma loja da Redley com coleção exclusiva do evento, lugares para se alimentar diferentes e incríveis, um espaço da Heineken com vista panorâmica e uma cabine de karaokê da Deezer que no final registrada a participação com umas fotinhos que saia na hora, além disso o streaming de música transmitiu ao vivo os shows.

Confira abaixo o cada momento do festival e tudo que aconteceu neste festival alternativo e cheio de energia boa.

 

ORQUESTRA PETROBRAS SINFÔNICA

A Orquestra Petrobras Sinfônica foi a primeira atração a subir no palco da Queremos. Tocaram uma coleção de hits da banda britânica Queen. Entre os sucessos estão “Love of My Life”, “Don’t Stop Me Now”, e, a clássica “Bohemian Rhapsody”.

O regente Felipe Prazeres pedia ao público para cantar junto com a orquestra e o público correspondeu soltando a voz e passando energia.

 

CARNE DOCE

Salma Jô subiu no palco para mostrar sua música experimental e sua performance cheia de energia, a sonoridade estava excelente para sentir a música.

Mas diferencia da orquestra o público estava desanimado, mesmo tendo sido um bom show.

 

JADE BERALDO

A catarinense mostrou que não estava no line-up de bobeira, sua performance era de muito gingado e ousadia, deixando a vibe do público lá em cima.

Devido um problema técnico o show precisou ser parado durante alguns minutos, mas Jade voltou com tudo ignorando a situação.

As coreografias estavam todas maravilhosas e bem elaboradas, se encaixando muito bem na música.

 

LUEDJI LUNA

Diversidade é que se fala né? Luedji Luna mostrou um diferencial incrível ao apresentar em seu show um ritmo nordestino misturado com samba.

Suas músicas destacadas foram “Banho de folhas” e “Saudades Malungo” foram os picos do show, onde em momento da música “Saudades Malungo”, Luedji retratou a violência sofrida pelos negros de autoridades.

 

DUDA BEAT

Ela já era promessa de um bom show desde o início do festival, a pernambucana deixou o povo animado com tanta energia.

Ela mostrou simpatia com o público desde o início, totalmente impossível de ficar parado com a malemolência do show.

Duda disse que o público presente foi a melhor plateia de 2019 até o momento. Mas não poderia ser diferente, Duda cantou Spice Girls, ergueu a bandeira do LGBT e colocou seu tecnobrega para todos dançarem.

 

ALLIE X

A norte-americana mostrou sua voz poderosa para a galera que estava aguardando a atração da cantora, bem animada e sorridente cantou seus sucessos como “Not So Bad in LA” e “Prime”.

Ela mostrou sua simpatia, circulou em cada canto do palco para todos verem e até mesmo fez um trocadilho de como o brasileiro fala seu nome “ALIE XIS”.

Foto: Ane Caroline Ramos

GAL COSTA

Uma das vozes mais famosas do MPB dispensa apresentações, Gal Costa ao subir no palco encontrou um público ansioso para o seu show.

O show teve uma das plateias mais cheias da noite. Gal cantou seus inúmeros sucessos para eles, entre as músicas estavam “Dê um rolê”, “Vaca Profana” e “Que Pena” conhecida pela voz de Jorge Ben Jor.

Gal tornou tudo uma grande festa, animando totalmente o festival e tirando dúvidas de quem não entendia o nome dela na line-up, com certeza um dos melhores shows da noite.

Foto: Ane Caroline Ramos

 

CRIOLO

O Paulista mostrou que seus shows não são apenas para música e também propagar nossos pensamentos políticos.

Criolo subiu no palco ao lado do produtor Daniel Ganjaman e eles cantaram a maioria das faixas do artista em rap, como a “Boca de Lobo”, “Casa de Papelão”, “Grajauex”, “Bogotá”, “Subirusdoistiozin” e “Não Existe Amor Em SP”.

Em todos os intervalos dos shows, Criolo falava sobre a importância da educação, pensamento crítico, racismo e o futuro do país.

 

BACO EXU DO BLUES   

O show mais esperado da noite sem dúvidas, quem estava presente viu a união de todos os gostos.

Logo na introdução do show foi passado uma vinheta com diversos artistas negros, como Seu Jorge, Black Alien, Beyonce, Jay-z, Elza, Mart’nália e incluindo a política Marielle Franco.

Todas as faixas do show foram cantadas e dançadas. Em três momentos, o rapper pediu para fazer uma espécie de coreografia, a primeira foi pedindo para que todos abraçassem a pessoa ao lado, a segunda foi uma espécie de “Lado A e Lado B” bastante conhecido nos bailes dos anos 90 e a terceira solicitou que todos fossem para trás e ao começar a música, a plateia viesse como um tsumani.

Baco também colocou seu lado político no show dedicando a música “Kanye West da Bahia” ao então presidente da república Jair Bolsonaro.

 

FORRÓ RED LIGHT

O festival se despediu da sua segunda edição com a dupla. Eles promoveram um arrasta-pé futurístico misturando o forró com o eletrônico.

A plateia que continuou no festival mesmo cansada mostrou energia diante a essa mistura de ritmos.

A proposta da banda foi essencial para a madrugada de domingo, finalizando com energia e alto astral o Queremos! Festival.

 

MI NO YOUTUBE: 

Mais notícias no Minuto Indie.

 

Ane Caroline Ramos

Ane Caroline Ramos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: