PLAYLIST: Indie Nostálgico – Muse, Cage the Elephant, Arctic Monkeys, The Killers e mais!

Às vésperas do fim do ano, o Minuto Indie decidiu fazer uma playlist da saudade. Confira a lista de Indie Nostálgico e se prepare para relembrar grandes sucessos das nossas queridas bandas indies.

1. Muse – Starlight 

Direto de 2006, temos a querida Muse com “Starlight”. Só de ouvir já repensamos a vida inteirinha, os corações partidos, as memórias boas e ruins. A faixa compõe o álbum Black Holes and Revelations (2006), que traz sucessos como a incrível “Supermassive Black Hole” e a melancólica “Invincible”. Já começou a chorar ou a se sentir velho? Então continua com a gente que tem muito mais!

2. Death Cab For Cutie – I Will Follow You Into The Dark

O que falar sobre uma música que já começa com “Love of mine, someday you will die”? “I Will Follow You Into The Dark” vem de um dos primeiros sucessos da banda Death Cab For Cutie, o aclamado Plans (2005). Na estrada desde 1997, o grupo coleciona 5 EPs e 11 álbuns, sendo que o último deles, Thank You for Today, foi lançado ainda neste ano e divulgado em uma turnê que passou pelo Brasil, no Popload Festival.

As músicas da Death Cab For Cutie são sempre meio nostálgicas, já que os riffs suaves e a voz baixa do vocalista deixam todas com um toque mais sutil. Mas algumas realmente nos deixam morrendo de saudade ou reflexivos, como a linda “You Are A Tourist”, que fala sobre não se sentir pertencido ao lugar em que você nasceu e todas as inseguranças em torno disso. Ela ganhou um vídeo lindo gravado ao vivo, veja aqui.

3. Weezer – Say It Ain’t So

Essa vem realmente do fundo do baú indie. Em 1994, a Weezer, uma das bandas que mais marcaram a cena alternativa dos anos 90, lançava o álbum homônimo – também conhecido como The Blue Album – que traria hits marcantes para toda uma geração. Quem cresceu nos anos 2000 já consegue sentir a vibe de “Say It Ain’t So”, imagina quem estava nos shows da época gritando quando as pessoas realmente se preocupavam mais em curtir o show do que em postar selfies borradas com o vocalista no stories? 

Deve ter sido maluco, cara. E deixa a gente com um dos piores tipos de saudade: aquela do que a gente não teve. Mas esse é o lado bom da música: perdura no tempo, para que a gente possa curtir sempre nossos artistas favoritos e se conectar com a energia do contexto de sua criação.

4. The White Stripes – Seven Nation Army 

Não tem como falar de nostalgia sem falar dessa obra-prima. “Seven Nation Army” marcou a galera dos anos 2000, e toda vez que toca na balada geral perde a noção e se entrega a esse sonzasso. Apesar de não ser exatamente indie, a música está presente no aclamado álbum Elephant (2003) do duo composto por Jack White e Meg White, que conquistou o público alternativo da época. A The White Stripes marcou uma geração e colocou todo mundo pra bater cabeça com um estilo inigualável, coisa que também deixa a gente com saudade. O Minuto Indie já fez vídeo sobre eles, confira aqui.

5. Cage The Elephant – Cigarette Daydreams

Vamos começar a falar das nossas bandinhas favoritas dos anos 2000? Quando se fala em indie e nostalgia, logo penso em “Cigarette Daydreams”, da banda norte-americana Cage The Elephant. A canção compõe o incrível álbum Melophobia (2013), que traz uns dos melhores sons da Cage, como “Telescope”, “Halo” e a famosa “Come a Little Closer”, que também deixam a gente se sentindo super nostálgicos. A banda em si tem uma esfera toda nostálgica, pois trata de forma inigualável nossos sentimentos mais intrínsecos, quase nos fazendo achar que as músicas foram escritas baseadas nas situações que realmente passamos.

Mas “Cigarette Daydreams” com certeza é a mais nostálgica delas. Toda essa malemolência sobre a confusão que é sair por aí procurando as respostas para tudo quando na verdade não achamos a solução de nada. O astral criado em torno de olharmos para trás e nos lembrarmos do que a gente fazia aos 17 anos, essa idade tão “quase” da vida. É também uma das canções que mais nos confortam, quase como um abraço, quando nos sentimos sem respostas novamente. O vídeo abaixo é de uma versão ao vivo, escolhido porque se tem uma coisa que a Cage The Elephant consegue fazer é ser ainda melhor nos shows, graças à energia dos membros da banda e à grandiosa presença de palco de Matthew Shultz, o vocalista.

6. Phoenix – Lisztomania

A banda de indie francesa mais queridinha dos anos 2000 estourou com o álbum Wolfgang Amadeus Phoenix (2009), vencedor do Grammy de Melhor Álbum de Música Alternativa em 2010. É dessa obra de sucesso que clássicos indies como “Lisztomania” e “1901” saíram, envolvendo o público alternativo com um jeito singular de fazer música. Você pode até ter parado de ouvir Phoenix, mas faixas como essas com certeza marcaram a sua introdução ao indie e te fazem lembrar de quando estava começando a descobrir o que era isso e como tantas bandas que se diziam ser indie conseguiam produzir sons tão diferentes e autênticos.

7. Vampire Weeknd – A-Punk

“A-Punk” é uma das músicas mais famosas da banda novaiorquina Vampire Weeknd, integrando o álbum homônimo lançado em 2008. O embalo da música marcou os jovens que já estavam sendo atingidos pelo indie com uma combinação divertida de sintetizadores e guitarras. Ninguém ficava parado quando “A-Punk” começava a tocar e hoje em dia não é diferente nas baladinhas indies por aí. É aquela música de colocar para dançar, se divertir com os amigos e lembrar do tempo em que sintetizadores ainda eram uma novidade engraçada no indie rock.

8. The Killers – When You Were Young

Não tem nem por onde começar a falar de The Killers. Direto de Las Vegas, a banda guiada por Brandon Flowers conquistou o público desde o seu primeiro lançamento, Hot Fuss, em 2004 – ainda considerado por muitos fãs como o melhor disco. Hits como “Jenny Was a Friend of Mine”, “Somebody Told Me”, “Mr. Brightside” marcaram a estreia da banda, que já chegou arrebentando. Com letras sobre os mais diversos aspectos sentimentais e existenciais, um estilo irreverente que só Vegas poderia acrescentar e uma musicalidade que combina um rock anos 80 com uma pegada eletrônica retrô dos anos 2000, os Killers continuam fazendo sucesso até hoje, vide sua última turnê mundo à fora com o álbum Wonderful Wonderful (2017), passando, inclusive, pelo Lollapalooza Brasil 2018.

Mas a escolhida de hoje vem do álbum Sam’s Town (2006). Com uma pegada totalmente nostálgica, “When You Were Young” aborda uma temática sobre aquele conto de fadas que a gente imagina que a vida é quando somos bem mais jovens, e como essa visão muda ao longo dos anos. É uma ótima canção para relembrar os tempos da adolescência, dos namoros que achávamos que durariam para sempre e sobre aquela ideia de amor eterno que tínhamos plantada na cabeça antes de descobrir que ia ser trouxa. A gente continua jovem, mas um pouco menos iludidos (eu espero).

9. Arctic Monkeys – 505

Já pode chorar? Não tem como essa música, galera. Hora de chorar as pitanga, lembrar daquele amor mesmo que marcou sua vida, que te deixou ouvindo “505” em loop pensando em como realmente essa pessoa fazia falta. Nada menos do que uma de nossas bandas favoritas de todos os tempos, Arctic Monkeys, que em seu segundo álbum de estúdio, Favourite Worst Nightmare (2007)simplesmente arrebatou todo mundo com as guitarras e letras marcantes, além do lirismo inconfundível de Alex Turner. O vídeo abaixo é de uma apresentação ao vivo de “505”, no Manchester Apollo, que deixa a gente com saudade também do tempo em que esses caras ainda curtiam uma estética mais despojada – fase bem distante do refinado Tranquility Base Hotel & Casino, lançado em 2018.

10. Florence + The Machine – Dog Days Are Over 

Se você começou a chorar, lembrar demais de alguma coisa ruim ou criar novas expectativas ouvindo as músicas acima, fique tranquilo. Com a lendária “Dog Days Are Over”, tudo sempre fica bem. Eu te garanto. Escuta aí que eu tenho certeza que a voz de Florence Welch vai pelo menos te acalmar por um momento. A canção está no álbum Lungs (2009) e é simplesmente um dos maiores hinos indies da geração 2000.

Não tem como ouvir esse som e não pensar em pelo menos uma coisinha boa que você já viveu, até mesmo se for simplesmente a superação de algo ruim que ficou para trás. Quando toca nas baladas, parece que é o maior momento de epifania da galera, as energias se misturam em uma única vibração e todo mundo parece viver uma cena de filme por um momento. Fala aí, se isso nunca aconteceu com você é porque tá indo na festa indie errada. Nada melhor do que terminar nossa playlist assim: nostálgico e feliz.

Além das músicas listadas, outros sons como “Lonely Boy” – The Black Keys, “Last Nite” – The Strokes, “Gap” – The Kooks, “Pumped Up Kicks” – Foster The People e “Breezeblocks” – alt-J estão na playlist que o Minuto Indie elaborou sobre Indie Nostálgico. Confira:

Deixe uma resposta