Neptunea reflete sobre os ciclos da vida em seu novo single-clipe ‘Infinito Espiral’

Neptunea reflete sobre os ciclos da vida em seu novo single-clipe ‘Infinito Espiral’

A canção é o segundo single lançado por Rafael Bulleto em seu projeto solo, o Neptunea

Em meio a uma crise existencial ou outra, todo mundo já pensou sobre como a vida é feita de repetições. Frequentemente, a rotina diária nos robotiza e nos faz viver no automático. Em tempos de pandemia, a realidade é outra, mas não deixou de ser cíclica. Agora, alguns viram a rotina do trânsito engarrafado a caminho do trabalho ser substituída pelo ócio constante da quarentena. Foi com essa reflexão que o Neptunea produziu seu novo single ‘Infinito Espiral‘.

Neptunea é o projeto solo do guitarrista Rafael Bulleto, que já passou por bandas como Antiprisma, Leza, BIKE, Fluhe e Sara Não Tem Nome. Em 2019, ele lançou seu single ‘AUM‘, acompanhado de clipe gravado na Antártica. O lançamento da vez, ‘Infinito Espiral‘, é uma prévia do disco de estreia do artista, e vem acompanhado de um clipe gravado no celular, dirigido por Ana Zumpano e também pelo Rafael.

Como Neptunea, Rafael trabalhou o dedilhado na guitarra e fez uma analogia entre o loop da canção instrumental e o loop da vida. Assim, ‘Infinito Espiral‘ serve como uma meditação para reconhecer como nos deixamos levar pela insensibilidade cotidiana. “Desde pequeno penso sobre as situações nas quais agi ou reagi de forma automática, anestesiado, sem, de fato, pensar no que estava fazendo. Isso se deve, talvez, à rotina ou à força do hábito. Eu só percebia que estava nesse modo depois que tudo havia acontecido, como se tivesse acabado de acordar de um sonho em que não estava no controle”, conta Rafael.

O clipe segue a mesma proposta da música. De uma forma muito honesta e intimista, Rafael mostra o processo criativo da música, pinturas que fez durante a quarentena e objetos que o inspiram. “Como vivemos esse momento de distanciamento social e confinamento, rotina repetitiva e que já parece infinita, pensei em retratar essa realidade em um videoclipe. A gente deu esse aspecto de sonho ao vídeo pensando sobre o momento em que a gente acorda do modo automático e parece ter vivido um sonho. Eu fico pensando que, depois que a pandemia e o isolamento acabarem, talvez toda essa história pareça um grande delírio coletivo. Como a gente vai se lembrar disso?”, reflete o guitarrista.

A capa do single é outra obra de arte. Diego Alves, do coletivo Camaleão Rec, idealizou e construiu uma mandala que, em sânscrito, significa “círculo“. Segundo o criador da imagem que ilustra ‘Infinito Espiral‘, o sol é o elemento central da mandala e representa o fogo e a transformação; o terceiro olho é a porta de acesso para a evolução; a mensagem ao redor do sol é um dos mantras mais populares do budismo tibetano: “OM MANI PADME HUM” representa a ideia de unidade entre corpo, mente e espírito; as pétalas azuis, na cor do infinito, simbolizam a água, elemento da mutação e da flexibilidade; no mesmo sentido, as espirais em forma de brotos fazem referência à natureza e à superação de um ciclo da vida e início do próximo.

Capa do single ‘Infinito Espiral

Assista ao clipe de ‘Infinito Espiral‘, do Neptunea

A faixa é um lançamento Alcalina Records. Ela foi composta e produzida por Rafael Bulleto, mixada por Felipe Magrinelli e masterizada pelo Estúdio Tabuleiro.

Ouça ‘Infinito Espiral‘ nas plataformas de streaming: Spotify | Deezer | Apple Music

Mais notícias no Minuto Indie. Curta nossa página no Facebook.

Sabryna Moreno

Sabryna Moreno

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: