Entrevista: conversamos com o Radical Karma sobre inspirações do novo EP “Sintomas” e isolamento social

Entrevista: conversamos com o Radical Karma sobre inspirações do novo EP “Sintomas” e isolamento social

Conversamos com o Radical Karma um dos novos nomes da cena alternativa. Vem conferir

A banda Radical Karma lançou em maio desse ano o EP “Sintomas”, que mostra o amadurecimento do quarteto paulistano ao falar de temas como inquietação, frustrações e relacionamentos. O Minuto Indie conversou com os integrantes: Gabriel Zander, Fausto Oi, Mateus Brandão e Fernando Martins, sobre o lançamento desse novo trabalho, cotidiano, isolamento social e futuros projetos.

Confira – MI Entrevista Radical Karma

1 – Recentemente a banda lançou o EP “Sintomas”, quais foram as principais inspirações para as faixas?

Gabriel:  As principais inspirações são as coisas que vivemos e observamos no nosso próprio cotidiano. Angústias, medos, ansiedade, injustiças, decepções, mas também superações e determinações também.

2 – Como foi lançar um EP em plena pandemia? Chegaram a cogitar o adiamento?

Mateus: Não foi algo necessariamente planejado. Começamos a produzir esse EP logo depois do lançamento do primeiro. O processo todo se estendeu até meados de fevereiro, quando terminamos as gravações. Nos demos conta do que estava por vir e entendemos que faria  total sentido lançar agora, mesmo não podendo apresentar as músicas ao vivo por enquanto. Os planos de fazer shows foram adiados. Todos os outros planos seguem normalmente, no nosso ritmo.Continuar produzindo e lançando material é um deles.

3 – Quais sentimentos as novas faixas podem transmitir para quem está em isolamento?

Gabriel: Isso não dá pra responder, elas podem causar qualquer sentimento dependendo do jeito que a pessoa interprete as letras. O que a gente espera é que nossa música traga algum tipo de amparo, reflexão e identificação, especialmente nesse momento tão delicado, para que as pessoas saibam que não estão sozinhas e através da resposta e reação que voltam pra gente por parte de quem ouve, gosta e se identifica, a gente também possa ter certeza de que não estamos sós.

4 – Da rotina de shows, viagens e gravações, do que mais estão sentindo falta na quarentena?

Fausto: Nos encontrávamos todas as semanas, algo que parece um compromisso rotineiro se torna uma saudade imensa. Muita vontade de estarmos juntos, trocando ideias e criando, isso tem feito muita falta. São muitos meses sem nos vermos pessoalmente. Esse período de quarentena trará com certeza uma valorização de encontrar os amigos quando tudo isso passar.

5 – A faixa de abertura do EP, “Fez” ganhou um clipe com imagens de shows e ilustrações, qual o motivo da escolha dessa música para single.

Mateus: Escolhemos esta pra ser a música de abertura do EP. O clipe foi o primeiro lançamento da música, aconteceu somente no youtube, um dia antes do lançamento do EP.  Nossa ideia era só atrair, quem sabe, um pouco da atenção da galera pra esse lançamento.

O motivo da escolha dessa música foi:  bem, por que não essa música? Tinha que ser uma das quatro, rs.

6 – A banda possui uma identidade visual marcante com belíssimas ilustrações feitas pela ilustradora Camila Rosa, vocês opinam nas ideias para as artes?

Fausto: A Camila é incrível! As artes dela definiram a identidade visual da banda. Ela tem toda a liberdade para criar, não opinamos em nada. Ela escutou as músicas e criou, então a música influenciou o processo dela. E, por consequência, as ilustrações nos influenciaram de volta, com toda a certeza.

7 – Os fãs podem esperar alguma live nesse período de isolamento?

Fausto: Nós gravamos um ao vivo na Fenda 315/Sabot (loja aqui de São Paulo) e devemos soltar por esses tempos, é o nosso próximo objetivo. Em breve deve rolar!

8 – Teremos mais novidades da Radical Karma ainda esse ano?

Fausto: Teremos sim, estamos preparando músicas novas, cada um na sua casa, então ainda esse ano deve sair um material novo. Aguardem!

 

Veja mais notícias sobre música, cinema e séries no Minuto Indie. Curta o MI também no Facebook!

Vitoria Ataíde

Vitoria Ataíde

Tem um quê de jornalista, outro de cinéfila, completamente louca por música.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: