Letrux exalta a ancestralidade, a natureza e o sagrado feminino em clipe de ‘Vai Brotar’

Vai Brotar Letrux

Apesar de ter sido gravado durante a quarentena, o clipe de ‘Vai Brotar’ encanta com sua fotografia deslumbrante

Uma vez, alguém disse que a humanidade sempre teve medo de mulheres que voam, “sejam elas bruxas, sejam elas livres”. Talvez, esta seja uma frase perfeita para descrever a performance de Letrux em seu novo lançamento, o clipe de ‘Vai Brotar‘. Para além de seu talento como cantora e compositora, Letícia é mulher, filha da natureza, e isso ela demonstra na prática. Sua conexão transcendental com o que há ao redor é ilustrada em um registro visual que poderia, perfeitamente, ser chamado de obra de arte.

Em março deste ano, com o lançamento do disco ‘Letrux Aos Prantos‘, muita gente ficou encantada com uma canção, em especial. Os versos e melodia de ‘Vai Brotar‘  — composição em parceria com Arthur Braganti (coprodutor do álbum e tecladista da banda)  —, desde o princípio, transmitiram sensações aparentemente indescritíveis, de tão mágicas. Agora, além de nossos ouvidos, presentearam nossos olhos. O videoclipe faz jus a uma das mensagens mais simbólicas já cantadas por Letrux, deixando bem evidente que, sim, ela está “cada vez mais espiritualizada“.

Cada frame é um impacto diferente. O contexto do clipe se passa em um sítio agroflorestal, na serra de Itaipava. Letícia Novaes, a Letrux, encarna o espírito da mãe natureza, em valorização à terra e sua fertilidade, à ancestralidade e ao sagrado feminino. Como uma bruxa, livre e defensora, a protagonista luta contra a figura de um homem sem rosto, que surge para destruir a floresta e as vidas que existem lá.

“É uma homenagem aos verdadeiros protetores das florestas e um manifesto contra o patriarcado, o agronegócio, a mineração, o latifúndio e a exploração da biodiversidade e das pessoas que nela e com ela habitam este sistema” – Letrux

Por mais incrível que pareça, o clipe foi gravado em plena quarentena. Por esse motivo, a equipe foi reduzida, mas os fatores externos não foram o suficiente para impedir que a arte acontecesse. O alto nível de qualidade da obra não seria possível sem o trabalho sensível e poético de Hilnando SM (roteiro e direção), Liana Nigri (direção de arte, figurino e adereços), Marina Rozenthal (produção de locação, arte e objetos), Dudu Mafra e João Chataignier (direção de fotografia), Thiago Rebello (montagem) e Bernardo Neder (finalização e cor).

Assista ao clipe de ‘Vai Brotar’, da Letrux

Mais notícias no Minuto Indie. Curta nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta