Less Than Jake enlouquece público no Fabrique em SP

A vida foi dura em todo o Brasil esse fim de semana e São Paulo não escapou disso, ônibus atrasando, falta de gasolina e tudo mais, isso foi um problema para os fãs de LTJ? Não!

Os americanos vieram ao país pela quarta vez e trouxeram fãs fieis que aguardavam o retorno do grupo desde 2012.

Desde as 16h, a rua Barra Funda, onde fica localizado do Fabrique, já contava com grande público que variava entre uma cerveja e outra, via final da Champions League e comprava algumas camisetas que eram vendidas na porta do show.

A primeira banda da noite (ou da tarde) foi a NoKaos, que veio do ABC prestigiar a festa com seu Ska empolgante e dançante. A banda que já possui certo público em São Paulo agitou o bom público que já estava dentro da casa com os sons do novo trabalho intitulado “Sem Freio”, álbum lançado ano passado e se arriscaram com um cover de Ultrage a Rigor durante a apresentação.

Logo em seguida, os catarinenses do Skatula subiram ao palco pra manter a energia que já contagiava todo mundo, além de contar como foi dura a vinda pra São Paulo e tocar, por conta de tudo o que ocorreu nas estradas devido as diversas paralisações, bloqueios e a falta de combustível, a banda descontou tudo tocando de forma veloz e animada, que fez com que muitos dos presentes interagissem com a performance e a casa já estava cheia nessa altura da noite.

Teve um pequeno atraso de uns 10 minutos, mas a marcha imperial faz com que os fãs que lotavam o Fabrique fossem a loucura com a entrada do Less Than Jake.

Logo em “Sugar in Your Gas Tank” a casa veio abaixo com uma roda gigantesca aberta, uma pequena pausa pra respiro e a banda prosseguiu com “The Ghosts of Me and You”, “Dopeman” e “Plastic cup politics”. Deu pra perceber logo de cara que a banda ficou super feliz com a agitação das pessoas que não paravam um minuto de dançar, o baixista Roger Lima (brasileiro, nascido em Porto Alegre e que sempre morou nos EUA), disse em português claro que o show de São Paulo, além de ser o melhor da Tour até o momento, tinha ganhado de lavada do show do Rio de Janeiro (sintam-se orgulhosos).

Seguindo o set list, a banda tocou “Johnny Quest Thinks We’re Sellouts” e “Whatever the weather”, esta última que faz parte do CD “Sound the alarm” lançado ano passado, em seguida tocaram “Look what happened”. Em uma brincadeira, o vocalista Chris Demakes brincou que a mãe de Roger os assistia através de uma live e que era a única musica da banda que ela gostava.

Clássicos como “The Science of Selling Yourself Short”, “How’s My Driving” foram cantados a plenos pulmões pelos presentes que não paravam um minuto, aumentando o calor dentro do Fabrique. Após isso vieram ainda Doug Hastings?”, “Never Going Back to New Jersey”, “P.S. Shock the World” e “Last One Out of Liberty City”, pra rolar aquela famosa “respirada” antes do fim do show.

Após uma pequena pausa no show, a banda volta ao palco para finalizar a noite com “Rest of my life”, “All My Best Friends Are Metalheads” e por fim “Gainesville Rock City”.

Durante todo o show a banda brincou que tocaria no Brasil de agora em diante a cada 2/3 anos, o que animou a todos, deixando aquele gostinho de quero mais e ansiedade para a volta dos americanos ao Brasil.

 

Confira como foi o show pelo canal “Punk Rock Shows”:

 

 

 

 

Veja o último vídeo do canal Minuto Indie:

 

 

 

Deixe uma resposta