ENTRE DRAMAS E COMÉDIAS: as próximas atuações de Jim Carrey nas telinhas

ENTRE DRAMAS E COMÉDIAS: as próximas atuações de Jim Carrey nas telinhas

Aproveite o dia em casa para relembrar as atuações do ator e saber quais são as previsões para seus próximos papéis

Depois de um tempo afastado, Jim Carrey voltou ao cinema recentemente com o filme “Sonic” (2020). Na obra, o ator é o personagem “Robotinik” – um vilão genial que quer dominar o mundo e capturar Sonic. Em entrevista ao Portal G1, Jim revelou o motivo de ter aceito o papel:

“Acho que os personagens sempre tem algo que se encaixam em mim. O que eu quero sempre é pegar um personagem legendário, atemporal, que marque época e que divirta muito as pessoas. E quando você faz vários deles, você pode evoluir e melhorar e ficar mais maníaco, insano e engraçado”.

Jim Carrey como Robotinik no filme Sonic
Jim Carrey como o vilão “Robotinik” no filme “Sonic” (2020)

Se estávamos com saudades do ator, podemos agora nos sentir mais aliviados. Além de Sonic (2020), segundo Cinepop, há grandes chances de Jim interpretar também o vilão “MODOK” (Mental Organism Designed Only for Killing; em português, Organismo Mental Desenvolvido apenas para Matar) em futuros projetos da Marvel.  Na obra, o personagem seria feito digitalmente e teria protagonismo maior no terceiro filme do “Homem Formiga” – entretanto, a produtora ainda não se pronunciou oficialmente sobre isso.

MODOK hq Jim Carrey
O personagem “MODOK” nos HQ’s.

Conhecido e atrelado muitas vezes à seus papéis de comédia como nos filmes “Ace Ventura” (1994), “Debi & Loide” (1994) e “O Máskara” (1994), Jim Carrey também nunca decepcionou quando se trata do gênero drama. Com uma longa participação no cenário cinematográfico de Hollywood, o ator já ganhou em 1999 um Globo de Ouro por sua atuação em “Show de Truman” (1998) – e, no ano seguinte, venceu pelo longa “O Mundo de Andy” (1999). Em 2017, o artista lançou o curta-metragem “I Needed Color”, onde explora abertamente sobre a temática da depressão, seu afastamento e como a arte e pintura o salvou deste abismo:

“Eu só sei que ela me liberta. Fico livre do futuro, livre do passado, livre do arrependimento, livre de preocupações. Você nunca sabe realmente o que uma escultura ou pintura significa de fato, você acha que sabe”.

Já curtiu o Minuto Indie no Facebook? Clique aqui!

Segundo o ranking do IMDb, o top 3 dos filmes mais bem avaliados do ator são, respectivamente: “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” (2004), o “Show de Truman” (1998) e “O Mundo de Andy” (1999).

Jim Carrey - Brilho eterno de uma Mente sem Lembranças - Joel
Jim Carrey interpretando “Joel” em “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” (2004)

O “Mundo de Andy”, inclusive, ganhou um documentário no ano de 2017 pela plataforma Netflix. Em “Jim & Andy”, é mostrado o processo de composição do protagonista do filme, exibindo a linha tênue entre a atuação e a sanidade do ator, que justifica a sua vitória no Globo de Ouro. O filme ainda está disponível na plataforma e é extremamente recomendado para quem, assim como eu, é fã do trabalho de Jim Carrey. Inclusive, “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”, também citado na lista do IMDb, se mantém no catálogo da Netflix e da Amazon Prime Video. 

Mas, as novidades sobre Jim Carrey não param por aí…

Em entrevista ao Collider, ainda esse ano, o ator diz que não descartaria a ideia de uma sequência para “O Show de Truman– afinal, o filme encontra-se ainda mais atemporal nos dias de hoje com o advento da tecnologia, das redes sociais e de reality-shows:

“Eu acho que o ‘Show de Truman’ é algo que existe em um nível micro agora. Era um tipo de história que acontecia em um nível macro. Mas agora todo mundo tem um canal para se inscrever, todos têm seu pequeno mundo Truman Show. […] Eu penso e sou perguntado com frequência no que teria acontecido com Truman quando ele sai para além da parede. Me levou um tempo para perceber que, basicamente, ele está sozinho lá, porque todo mundo voltou para dentro. Todo mundo quis permanecer na ‘caverna’”.

Jim Carrey O Show de Truman
O Show de Truman” (1998)

Quando questionado sobre O Máskara” (1994), o ator respondeu que faria se a ideia viesse “de algum diretor louco e visionário”. Bom, até lá, teremos um tempinho pela frente. O MI aproveita para trazer esse vídeo de um discurso realizado pelo Jim Carrey como recomendação extra:

 

É, estamos torcendo para a sua continuidade no mundo do cinema! Para mais notícias, continue acompanhando o Minuto Indie.

Tainara Fantin

Tainara Fantin

Formada em Ciências Sociais e especialista em Jornalismo Digital fascinada pelas seguintes áreas de estudo: etnomusicologia, antropologia/sociologia urbana e análise de discurso. Atualmente, faço graduação em Tecnologia de Eventos e Letras. Estudante de Direção de Arte e Psicologia, sou apaixonada por música, cinema e literatura. Instagram: instagram.com/tfntn | instagram de fotografia: instagram.com/adaylnthelife | linkedin.com/in/tainara-fantin | fb.me/tainarafantin ♥ fb.me/casualsabotage

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: