Falando de amor e putaria na quarentena, Julio Secchin lança single

Julio Secchin

Cantor evidencia o que mais aflige os jovens no isolamento social

A quarta-feira (22) rendeu canções sobre o período de isolamento social. Depois de Pedro Mann, foi a vez de Julio Secchin lançar um single sobre a quarentena, relatando sobre amor e putaria. Falando sobre a saudade daquele contatinho, porém, o cantor lançou a música Probleminha influenciada por Frank Ocean.

Já curte o Minuto Indie no Facebook? Clique aqui!

Trazendo na letra lembranças sobre os contatinhos inalcançáveis durante o isolamento social, a música evidencia a tristeza dos jovens que não podem sair de casa. Julio explica que as pessoas estão “tristes e com tesão por conta da quarentena” e, por isso, “muita gente acaba revivendo momentos amorosos através das redes sociais”.

single tem uma pegada de indie com r&b e foi inspirada por Frank Ocean, um dos grandes artistas de love songs do mundo, e que é trilha da intimidade. A canção foi lançada já com clipe imitando face time com Mariah de Moraes num tom intimista, romântico e safado.

JULIO SECCHIN

Em 2019, Julio Secchin lançou o álbum Festa do Adeus, bem aclamado pela crítica especializada. O disco possui influências nacionais em meio ao indie e música eletrônica. Mais tarde, no mesmo ano, ele mudou a musicalidade e partiu para a mesclagem do funk carioca, MPB e bossa nova na música Jovem, entre outros singles.

JULIO SECCHIN – PROBLEMINHA

“Bota um Frank Ocean,
pra eu balançar
Mar de colágeno,
hoje eu vou namorar”

Falando sobre amor e putaria, ouça Julio Secchin – Probleminha

FICHA TÉCNICA:

Diogo Sili – Guitarra
Lucas Freitas – Teclado
Julio Secchin – Voz, Programações, Produção musical
Daniel Sili – Mixagem
Alexandre Rabaço – Masterização

[Foto: Moisés Leal de Almeida]

MI NO YOUTUBE:

Mais notícias no Minuto Indie.

About Vitoria Correa

A louca dos esportes, música e livros, faço dos meus hobbies uma projeção do meu futuro profissional. Formada em Técnico em Informática e cursando Jornalismo.

View all posts by Vitoria Correa →

Deixe uma resposta