Exclusivo: Ouça o segundo EP da Supervibe (DF)

Power trio Supervibe libera segundo EP, ouça primeiro no Minuto Indie.

Foi nos anos oitenta que o rock nacional ganhou seu maior destaque na grande mídia, naquela época pipocaram bandas de todos os cantos e criou-se uma parada que hoje definiríamos como “cenas regionais”. Nessa loucura/aventura mainstream, o rock de Brasília ganhou seu destaque, sempre com uma pegada punk e em tom de protesto Capital Inicial, Legião Urbana, Os Paralamas do Sucesso e muitas outras surgiram no underground e se consagram como clássicos nacionais.

Em outros tempos, a cidade nos presenteou com Little Quail and The Mad Birds e Raimundos, representando o punk rock e o rockabilly. O ano é 2017, vivemos um momento difícil, porem, otimista no cenário de música alternativa no Brasil. A cada dia que passa pessoas entendem qual papel cumprir pra ajudar a fomentar esse movimento. O indie e o shoegaze estão em alta e inspiram os jovens que chegam agora na música. Eis um novo sopro de produções musicais brasilienses, conheça agora a Supervibe.

O trio é formado por Sand Lêycia (bateria), João Ramalho (guitarra/voz) e Deivison Alves (baixo). Eles são de Gama, uma cidade satélite de Brasília que tem no máximo 150 mil habitantes. Eles já estão no segundo EP e representam a voz de uma geração mais preocupada com a voz de seus sentimentos mais internalizados. “Autóctone” conta com cinco faixas, confira o nosso faixa a faixa comentando as primeiras impressões de cada música do trabalho.

1) Intro: A sonoridade é toda ecoada e a canção é apenas instrumental, aqui a banda busca ambientar o ouvinte ao álbum que está preste a ouvir. Em menos de dois minutos eles conseguem te colocar na sintonia certa e deixar o gostinho de quero mais.

2) Sonido: Agora que você já vai ter embarcado na viagem da Supervibe vai até sentir a vontade de dançar. Essa música é mais animadinha e tem leves tons da nova psicodelia brasileira, me lembrando de BIKE e Os Chás, que inclusive teve o EP lançado primeiro no Minuto Indie.

3) Desfaz: Envolvente demais, o terceiro cartão de visitas da Supervibe firma a mistura de indie, shoegaze e psicodelia. Três minutos de piração e muita repetição, tudo a base de solos criativos.

Supervibe lança EP "Autóctone". Foto: Divulgação.
Supervibe – Capa do EP “Autóctone”.

4) Frenesi: Trilha sonora perfeita para quando o delírio psicodélico vai longe demais. O ritmo calmo e a voz suave maquiam um sentimento violento.

5) Mar: A canção quebra o ritmo calmo da música anterior e encerra o trabalho fazendo um aspiral dentro do “Autóctone”. A guerra dos sentimentos termina com a calmaria perigosa da maresia.

 

Supervibe lança EP "Autóctone". Foto: Divulgação.
Supervibe lança EP “Autóctone”. Foto: Divulgação.

Confira uma entrevista exclusiva que fizemos com a banda, comentando sobre a cena em Brasília, sobre o EP e muito mais:

Minuto Indie – Pra começar a nossa conversa, acho importante abrir um espaço para apresentação. Então vamo lá, falem um pouco sobra a banda e sobre vocês três mesmo.

R: Somos uma power-trio que conta com João Ramalho na guitarra e voz; Sand Lêycia na bateria e Deivison Alves no baixo. Posso dizer que somos uma banda com o pé nas jams e improvisações. Nossas criações vêm espontaneamente e da forma mais natural possível, não nos prendemos à moda.

Minuto Indie – Como surgiu a banda e como vocês organizam suas influencias pra criar esse som que ouvimos nos dois Eps?

R:O João (guitarra e voz) e eu (Sand: bateria) nos conhecemos na faculdade, tínhamos muita afinidade nos sons, gostávamos praticamente das mesmas bandas e tals. Daí, montamos a banda, na época um duo, só nós dois! Com o tempo e a necessidade de uma base que ajudasse o João com os solos, decidimos inserir um baixista, demorou um pouquinho até encontrarmos o Deivison, foi por indicação de amigos. Cara, as nossas influências vêm naturalmente, não é porque escuto banda x que vou só colocar isso nas composições! Quando estamos criando vem de forma natural, um recorte disso, um riff legal, um baixo contrastando, a bateria aleatória, e dessa formas que criamos nossas canções, digo que nas experimentações.

Minuto Indie – Hoje a Supervibe está lançando, aqui pelo Minuto Indie o segundo EP da banda. Como surgiu esse título “Autóctone”? E qual o significado dele?

R: Autóctone diz de algo que é originário de algum lugar, digamos que sejam as raízes de algo. Nós nesse EP aplicamos nossas raízes, sem se prender a efeitos, com canções em português, diferente do Clarão. Então é isso, estamos mais raízes e ouvindo o que de dentro da gente.

Minuto Indie – Vai rolar uma versão física desse trabalho?

R: Vamos fazer algumas cópias para colocarmos nos merchan, se o trabalho repercutir bem e surgir a necessidade a gente faz mais. Hoje em dia é gastarmos nossas forças com divulgação na Internet.

Supervibe lança EP “Autóctone”. Foto: Divulgação.

Minuto Indie – Agora com trampo novo na praça, o que vai mudar no show de vocês?

R: A gente quer tocar bastante as músicas do Autóctone mas também a gente coloca músicas do Clarão! Temos mais composições, porém vamos deixá-las guardadas para o álbum full que vem aí.

Tem alguma previsão de shows em SP ou mesmo fora do DF?

R: Ainda não, mas queremos muito ir pra fora, chama a gente!

Minuto Indie – Vocês vivem em Brasília, tocaram até no Picnik Festival – rolê rendeu um texto no PopLoad escrito pelo Lúcio Ribeiro -. Conseguem enxergar uma melhora no cenário de música independente ai nessa região? Tem muita banda? Quais indicam? E lugares pra tocar?

R: Esse começo de ano tá sendo bem bacana.  Conhecemos gente nova, os rolês estão aumentando, bandas novas surgindo, o que falta aqui pra gente são casas de show, penso que tá ficando legal mesmo sem termos muito espaço (exceção do PICNIK, GROSELHA que abre espaço pra bandas como a gente), as casas de show daqui aderem ao cover, isso complica pra gente. Se tivéssemos mais apoio ainda, BSB explodiria de cultura. Somos de uma cidade satélite, o Gama, aqui eu posso citar nossos irmãos da Tertúlia na Lua que tá luta e correria dia a dia com a gente. Bandas que vem nos chamando atenção também: Oxy, Transquarto, Cold Café, Joe Silhueta, e mais uma pancada que se a gente fosse citar íamos amanhecer o dia falando, muita banda boa lançando trabalho e ajudando a cena.

Minuto Indie – Bom, agora nosso papo curtinho chegou ao fim. Deixem ai uma mensagem pra galera que tá lendo a nossa entrevista e ouvindo o Ep Autóctone.

R: Fizemos esse trabalho com o que há de mais íntimo na gente, espontâneo, espero que vocês curtam!

Ouça o Ep Autóctone – Supervibe:


Acompanhe a Supervibe no Facebook e comenta aqui em baixo, gostou do som?

 

Deixe uma resposta