ENTREVISTA: Chris Cresswell do The Flatliners

O Minuto Indie teve a honra de bater um papo com Chris Cresswell, vocalista e guitarrista da banda The Flatliners

Começou ontem, dia 31 de maio, a tour latino americana do The Flatliners e dia 9 de junho eles tocam em São Paulo. Tivemos a oportunidade de conversar com o vocalista Chris Cresswell e ele comentou um pouco sobre a expectativa do segundo show da banda em terras paulistanas e um pouco do que vem acontecendo com a banda e a carreira. Aproveitem esse bate papo:

MI – O grupo veio para o Brasil no Festival Maximus, qual foi a primeira impressão da banda com o público brasileiro?

Chris Cresswell – O público brasileiro tem demonstrado muito carinho com a gente há um tempo. O Maximus foi absolutamente incrível, e estamos muito ansiosos para voltar e tocar punk para a galera!

MI – A banda lançou seu último álbum, Inviting Light, em 2017, mas tem alguma nova composição vindo por aí, considerando que novos trabalhos são lançados a cada 2 ou 3 anos?

Chris CresswellNossa, você sabe nossa programação direitinho (risos). Estamos mais ocupados na estrada novamente, mas sempre tem alguma coisa vindo por aí. Eu recomendaria ficar de olho nas nossas redes sociais nos próximos dias (risos).

MI – Uma coisa que deixa todos os fãs curiosos é a diferença de sonoridade entre o primeiro álbum, Destroy To Create, e os álbuns subsequentes. Qual foi o aspecto principal que levou a essa diferença?

Chris CresswellNós mudamos como pessoas todos os dias. Todos nós. Nossa música caminha ao nosso lado nessa estrada. Formamos a banda há 16 anos e lançamos 5 álbuns e incontáveis b-sides. Não tem como fazer a mesma coisa de novo e de novo e de novo. Porque se você faz, as coisas ficam tediosas. Até uma coisa excitante e linda como a música pode se tornar tediosa quando você faz a mesma coisa. Então a gente sempre quer explorar novas formas de fazer música, mas sempre com nosso coração.

MI – A banda toca em vários lugares no mundo inteiro, mas tem algum lugar que vocês ainda não foram e tem vontade de tocar? Os fãs na internet pedem shows em cidades que a banda nunca imaginou que teria público?

Chris CresswellA África do Sul e o sudoeste da Ásia são uns dos lugares que ainda não fomos e seria muito legal visitar e tocar. Estamos felizes em tocar em qualquer lugar, na verdade, e temos muita sorte porque nossa lista de países visitados está só aumentando. É facilmente uma das melhores coisas de estar em uma banda e na estrada.

MI – Falando em internet, após o anúncio da turnê na América do Sul, a banda recebeu muitas mensagens dos fãs nas redes sociais pedindo músicas nos shows ou falando sobre como estão ansiosos para vê-los ao vivo?

Chris CresswellEstamos recebendo mensagens dos fãs da América do Sul há muito tempo, vai ser muito especial finalmente poder visitar todos esses países cheios de seguidores da banda que estão esperando pacientemente pelo nosso show. A galera parece estar muito animada para ouvir nosso punk e nós estamos tão ansiosos quanto os fãs!

MI – Em 16 anos de estrada, quais são as principais diferenças que a banda percebeu desde o inicio de carreira até agora? Por quais experiências vocês passaram durante esse tempo que nunca pensaram que poderiam acontecer?

Chris CresswellÉ cômico porque o que a gente começou fazendo no ensino médio por diversão acabou se tornando nossa vida. A boa notícia é que continua divertido! Acho que o que mais mudou é que amadurecemos musicalmente, mas permanecemos sendo um pouco daqueles adolescentes, só que agora podemos viajar pelo mundo tocando música com nossos amigos e conhecendo pessoas incríveis que estão ali para nos assistir.

MI – As bandas que vocês escutam influenciam diretamente na musicalidade da Flatilners?

Chris CresswellClaro. Seria impossível não sofrer influência da música que ouvimos no nosso próprio som. Todos nós estamos ouvindo diferentes tipos de música hoje em dia, o que inspira muito na hora de criar coisas novas.

MI – Quais dicas vocês dão para os músicos que estão iniciando uma banda agora e usam a The Flatliners como influência?

Chris CresswellPode parecer bobo, mas o melhor conselho que posso dar para alguém que está começando uma banda agora é: não seja prepotente. Isso não te leva a lugar algum. Formar uma banda é sobre se divertir, ser criativo e compartilhar música com pessoas diferentes. Não deveria ser uma competição e não deveria ser um jeito de conseguir ascensão social. Deveria ser sobre amor pelo seu trabalho e pelo respeito aos outros. Se divirta, trabalhe muito e trate as pessoas bem.

MI – Por fim, deixe uma mensagem para os seus fãs brasileiros.

Chris CresswellVamos botar pra quebrar!

Entrevista: Eduardo da Costa/Stefany Mary

Tradução: Lillie Lima Vieira

Nos vemos na Jai Club dia 9 de junho! Ainda não comprou seu ingresso? Segue o serviço pro show:

Data: 09/06/2018
Horário: 17:00 – 21:00
Local: Jai Club – Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana – São Paulo/SP

Venda online: PixelTicket

INGRESSOS *

1º Lote PISTA – R$ 70,00 (Meia entrada estudante / Ingresso Promocional)
2º Lote PISTA – R$ 80,00 (Meia Entrada Estudante / Ingresso Promocional)
3º Lote PISTA – R$ 90,00 (Meia Entrada Estudante / Ingresso Promocional)
1º Lote PISTA – R$ 140,00 (INTEIRA)
2º Lote PISTA – R$ 160,00 (INTEIRA)
3º Lote PISTA – R$ 180,00 (INTEIRA)

Ingressos físicos:
Loja 255 – Galeria do Rock (A partir de 20/03/2018 | Terça Feira)

* Os ingressos são limitados.

Não conhece a banda? Então veja o clipe de Indoors:

 

 

Confira o último vídeo do canal Minuto Indie:

 

Deixe uma resposta