Conheça a viagem psicodélica de “conversa de um só”, novo álbum do “lista de ausência”

Conheça a viagem psicodélica de “conversa de um só”, novo álbum do “lista de ausência”

O projeto do gaúcho Gabriel Pozzan tem um debut moderno e consistente

Não demora muito para entender as referências usadas no conversa de um só, primeiro álbum do lista de ausência, projeto solo do gaúcho Gabriel Pozzan. O artista, que é responsável por tudo do disco – composições, instrumentos, voz, produção e até a capa do álbum – conta que bandas nacionais como Boogarins, Terno Rei, Tagore e internacionais como Unknown Mortal Orchestra e Tame Impala são inspirações para o projeto, o que fica claro desde o primeiro momento do projeto. Gabriel, que mudou para a França em setembro de 2018, conta como isso foi determinante na produção do conversa de um só:

Após uma troca repentina de país, deixando para trás família e amigos, me vi imerso em uma realidade completamente diferente, onde os finais de semana de uma agitação comum para alguém de 20 anos acabaram sendo substituídos pela total solidão do meu quarto, que ao longo dos meses acabou tomando forma de estúdio, em uma residência universitária.

EXCLUSIVO: Confira entrevista de Lucas Silveira, da Fresno, sobre a vida e a música

AS FAIXAS DE CONVERSA COM UM SÓ

A neo-psicodelia do lista de ausência é moderna e experimental na medida certa no conversa de um só. Faixas como a imersiva superstição – que já havia sido lançada mas foi regravada por inteiro – entram no loop de backing vocals e de takes te levando na viagem que é um dos pontos altos do disco.

Sempre ouvi que era errado não me ocupar
E passei a dar as costas pra poder andar em frente
Se eles fazem e eu não, porque me preocupar?

Se eu tropeçar, eu já sei onde vou cair
Onde vou fingir

Falta só mais uma vez

O vocal distante meio Elliott Smith e uma linha de baixo que lembra Joy Division em faixas como ninguém te vê também são características que acompanham parte do disco. A melancolia, o pessimismo e por vezes o conformismo, contrastando com o synth de o dia só começa quando a gente acorda ou o beat acelerado com assobios de esconde-esconde ajudam a tirar conversa de um só de um solitário quarto francês e transformá-lo em uma melhores, mais fáceis de se identificar e mais completas produções nacionais do ano até agora.

Você pode encontrar o lista de ausência no Instagram e no Spotify.

MI NO YOUTUBE

Mais notícias no Minuto Indie. Curta nossa página no Facebook.

Giovane Codinhoto

Giovane Codinhoto

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: