Como o line-up de grandes festivais nos ajudam a conhecer músicas novas? Saiba mais sobre 5 atrações do Coachella 2019

Quando se trata de line-up, quanto menor a fonte, maior a surpresa com as novas bandas que os festivais nos revelam

Sempre que sai um line-up de um grande festival a maior parte das pessoas fica feliz com os headliners ou comemoram o artista preferido que finalmente vai tocar perto de sua cidade. Mas depois disso começa a chuva de reclamações: “nossa, não conheço nada!”, “que line fraco”, “tirando os headliners não sei quem é ninguém”. E ficam por aí a reclamar sem realmente se dar ao trabalho de conhecer pelo menos alguma daquelas bandas que estão nas últimas linhas, em letras menores, mas que têm tanto a oferecer quanto os donos das fontes garrafais.

É impressionante o tanto de música que conheci em pouco tempo apenas buscando os nomes desconhecidos do line-up do Coachella 2019. Ao contrário do que pensamos, a cena atual não está totalmente dominada pelo rap, ou mais especificamente pelo trap. O grande predomínio de atrações mergulha na paleta de sonoridades enraizadas no eletrônico, tanto associado a grandes djs que agitam multidões de jovens com batidas enlouquecedoras, como aos pequenos artistas que desenvolvem um novo estilo de pop moldado pelo uso de sintetizadores. Nem sempre estamos falando de algo introspectivo e conceitual, como o dream-pop mais conhecido pelo duo Beach House.

O New Indie anda utilizando bastante os artifícios da música eletrônica, construindo canções que aliam o synth-pop a um estilo mais underground ou a elementos que andam fazendo muito sucesso, como a psicodelia. Outro tipo de som que anda agradando bastante no meio alternativo é o instrumental, seja o polido pelo rock psicodélico, seja o que combina elementos clássicos do rock como o uso de baixo e guitarra a batidas mais agregadas ao trip-hop, dando base para uma outra esfera musical que também começa a ganhar mais fôlego, o industrial.

Ou seja, nem só de Childish Gambino, Tame Impala e Ariana Grande vive um festival. Um evento dessa proporção é ainda mais importante para os artistas menos conhecidos alcançarem novos públicos, o que pra nós representa uma chance de ouro de conhecer novas bandas sem nem precisar sair de casa. Basta ter vontade de pesquisar e descobrir um mundo de novos artistas que já estão por aí prontos para serem ouvidos por nós. E aí? Pronto para conhecer bandas novas? Vamos começar por cinco atrações do Coachella que você não pode deixar de conferir.

 

Saiba mais sobre 5 atrações que vão tocar no Coachella 

 

1. Superorganism

Superorganism é uma banda formada em Londres no ano de 2017. Os oito integrantes são de diversas partes do mundo e se encontraram em fóruns de música online. Após um show de uma parte dos integrantes no Japão, uma das principais vocalistas, Orono Noguchi, passou a ser amiga do grupo e se juntou a eles. Todos foram morar juntos na Inglaterra, o que rendeu o álbum de estreia homônimo lançado em 2018.

O disco traz um mix certeiro de diversos estilos, como indie, pop e eletrônica. A temática da internet, memes e o tom humorístico aliado ao lado mais alucinante da musicalidade funciona quase como uma introdução a uma viagem muito louca, mas leve. A banda é toda trajada no conceito cibernético e cômico e até tem um site super divertido com um joguinho envolvendo figuras e memes, entra lá (https://www.wearesuperorganism.com/) . É a banda certa para a geração que vive na internet e vai além disso. Superorganism traz um som delicioso de ouvir. O álbum toca do início ao fim e você quase não percebe que está passando tão rápido. Merecem muito estar no line do Coachella. Ouça o disco aqui.

 

2. Turnover

Alguns de vocês já devem ter ouvido falar da banda norte-americana Turnover. Na estrada desde 2009, o grupo lançou três álbuns, sendo o último deles, “Good Nature”, a melhor expressão do que podem oferecer para o indie. Apesar de ter perdido alguns integrantes, a Turnover continua fazendo seu som e “Good Nature” traz uma combinação mais delicada de pop-punk com um pouco de dream-pop, mas com a roupagem sempre jogada para o indie. Para falar a verdade, o som é sim meio paradão, mas quando a gente precisa ouvir algo do tipo, Turnover é uma das melhores opções. Ouça aqui.

 

3. Tierra Whack

A rapper Tierra Whack de apenas 24 anos estreou em 2018 com o álbum “Whack World”. A novidade aqui é que o disco tem 15 faixas e apenas 15 minutos. Sim, cada música tem apenas um minuto de duração e Tierra veio para provar que não precisa mais que isso para mostrar seu incrível talento. O vídeo do álbum ganhou indicação para o Grammy 2019 na categoria de melhor clipe e apresenta um mundo versátil e intimista de cada lado artístico e pessoal de Tierra. A grande expectativa é saber como ela vai apresentar um álbum tão vasto e ao mesmo tempo tão curto em um show, o que pode trazer grandes surpresas. Vale a pena conferir:

4. Mon Laferte

A cantora, compositora e atriz chilena Mon Laferte é uma das artistas latinas mais interessantes. Para quem achava que Kali Uchis era a única opção atual no estilo, Laferte é a prova de que a música latina já vem trilhando um percurso memorável há algum tempo. Com uma bagagem que traz seis álbuns, incluindo “Norma”, lançado em 2018, a artista combina suas raízes com indie-pop e blues. Lançando trabalhos concisos, envolventes e bem recebidos pela crítica, ela conquistou o Grammy Latino em 2017 com a canção “Amárrame”, na categoria de melhor música alternativa. Outra artista que você não pode deixar de checar:

 

5. 070 Shake

A voz marcante de Danielle Balbuena, conhecida como 070 Shake, marcou 2018 pela sua participação nas faixas “Ghost Town” e “Violent Crimes” do último álbum de Kanye West, Ye. Mas a rapper vai muito além disso. O EP “Glitter”, lançado ainda no ano passado, começou a delinear a sua potência artística, que vem sendo confirmada com singles como “Accusations”. Ao que parece, 070 Shake marcará presença em 2019, e já começa pela sua participação merecidíssima no Coachella. Você ainda vai ouvir falar muito dela, e já pode ir se adiantando conferindo o seu som aqui no Minuto Indie:

Com essas cinco atrações você já deve ter percebido a pluralidade de artistas que grandes festivais como o Coachella apresentam. Mesmo sem dinheiro para comparecer, podemos pesquisar aqueles pequenos nomes e nos surpreender com a quantidade de novas músicas, artistas e estilos que tem por aí. E mais, esses festivais são inclusive apenas a ponta do iceberg. É possível encontrar novos artistas mais perto de casa, conferindo programações locais, shows na sua cidade e até mesmo apresentações que acontecem aí no seu bairro.

Se você tem a oportunidade de assistir aos shows em festivais como o Coachella, Bonnaroo e até o Lollapalooza Brasil, não se limite aos artistas que já conhece. Se arrisque no line-up! Uma das melhores coisas no mundo da música é conhecer uma banda pela primeira vez ao vivo. Você fica com aquela memória e quando chega em casa e ouve o som fica ainda melhor. Festivais como a SIM São Paulo são uma grande oportunidade para se arriscar e descobrir coisas novas. Mas se você não tem como bancar esses rolês, mesmo de casa pode conhecer uma grande esfera musical só pelo line-up, acompanhar os shows pela internet e abrir a cabeça para o mundo infinito da música.

Deixe uma resposta