Neck Deep faz show insano no Rio de Janeiro

Nesta quinta (05), a banda galesa de pop punk Neck Deep se apresentou no Rio de Janeiro, no Teatro Odisséia, atração trazida pela Tree Productions, com abertura dos paulistas da Dinamite Club.

A casa, com capacidade para 700 pessoas, não lotou. Porém, isso não não interferiu na experiência. Foi um show com uma vibe bem underground, com muita empolgação, com direito à mosh pits e stage dives.

Durante a abertura o local estava bem vazio e a maioria do público não parecia cativado pela banda. O som não estava bom, tanto que próximo ao fim do show, o grupo interrompeu a apresentação para resolver alguns problemas técnicos.

O Neck Deep chegou com muita energia e continuou mantendo o público extremamente envolvido e animado até o fim do espetáculo. Os fãs, que há tanto esperavam a vinda deles a terras brasileiras, estavam nitidamente emocionados. O público foi de total importância para a energia do evento, todos pareciam saber bem as letras das canções, trazendo coros muito bonitos, e pulavam como se não houvesse amanhã. Os galeses estavam muito empolgados com a primeira apresentação do grupo no Brasil, e repetiram algumas vezes o quanto era especial visitar um país tão longe da terra deles.

Foto por Juliana Guimarães | @eyelinertv

A banda trouxe a turnê do disco “The Peace And The Panic”, excelente álbum lançado em 2017. O setlist escolhido pelo Neck Deep foi bem homogêneo, trazendo músicas de todas as fases de sua carreira com ênfase em canções do segundo e do terceiro disco. Entretanto, os fãs antigos não ficaram mal servidos, tiveram direito até a uma performance da primeira música lançada pelo grupo.

O Neck Deep entrou com tudo com seu pop punk agitado, começando com “Happy Judgement Day”. Além disso, os destaques foram as performances de “Motion Sickness”, que botou a galera para pular, “Parachute”, que foi dedicada ao Brasil e deu uma boa acalmada depois de uma sequência de faixas frenéticas. O hit “In Bloom” foi cantado em coro de forma belíssima, e a emocionante “December”, que assim como “In Bloom” foi cantada uníssono.

Outros destaques foram a animada “Don’t Wait”, música pertencente ao último trabalho de estúdio do grupo galês, as frenéticas “Can’t keep Up The Roots” e “Citizens Of Earth”, do álbum “Life’s Not Out To Get You”, e a canção que fechou o show, “Where We Go When We Go”.

Além disso, quem estava à procura de produtos oficiais da banda não se decepcionou. Tanto o Neck Deep quanto o Dinamite Club trouxeram merchandising oficial, e se comprasse uma camisa do Neck Deep ganhava um pôster oficial da turnê brasileira e adesivos.

O único problema do show foi que o ar condicionado foi desligado duas vezes, uma durante a apresentação da banda de abertura e outra durante o show do Neck Deep, tornando o ambiente, que já é pequeno e fechado, extremamente quente. Na primeira vez, o público não estava satisfeito com a atitude do Teatro Odisséia. Porém, na segunda vez, as pessoas não pareciam se importar tanto, já que estavam extremamente conectados com a apresentação.

O Neck Deep ainda passa por São Paulo, Curitiba e Porto Alegre. Vale muito a pena conferir o som dos caras! Que essa estreia pelo país seja um incentivo à banda para voltar mais vezes e o mais rápido possível!

MI no YouTube

Deixe uma resposta